Textos para avaliação e videobook na Top Kids & Teens

Escolha um texto que for mais apropriado para a idade e sexo.

Na avaliação iremos ver como o futuro agenciado reage nas seguintes atividades: fotografia, expressão, passarela e interpretação.

Nem sempre fazemos todos esses itens, dependerá da idade e disposição em ser avaliado. Mas é importante para a agência saber para qual trabalho o futuro agenciado poderá ser indicado e onde ele poderá melhorar para aumentar suas chances de trabalho.

MÃE (meninas e meninos)

Mãe, por que você sempre grita comigo?

Será que você não vê que eu te amo muito, muito, mãezinha?

 

PAI (meninas e meninos)

Pai, nesse dia dos pais eu queria te dar um presente diferente, ter falar uma coisa que nunca te falei antes.

Queria te dizer que mesmo se pudesse escolher, sempre ia te escolher para ser meu pai.

Pai, eu te amo!

 

PINTORA (meninas)

Mãe, se eu contar o que eu fiz você vai brigar comigo?

Tá bem, eu pintei a parede… mas foi sem querer mãezinha.

(em pose de juramento mostrando a mão e decidida) Prometo que não pinto mais hoje!

(com cara fofinha de quem pede algo irrecusável) Só amanhã, tá?

 

 

TAREFAS (meninas e meninos)

Eu tenho mais de 10 horas de ocupação diária, tá? Tenho que estudar sabe Deus quantas matérias. Faço aula de inglês, de canto, de teatro… E tenho que fazer o dever de casa da escola, todos os dias. E ainda preciso arranjar tempo para brincar e poder curtir filmes e festinhas com minhas amigas. E você ainda acha que a vida de criança é fácil? Ta bom.

 

LEVADO (meninos)

Você acha que eu tenho cara de levado? Não é só a cara não, eu sou levado mesmo! Uma vez, eu coloquei uma barata de borracha em cima do travesseiro da minha irmã. Ela quase morreu de susto! Só que minha mãe descobriu e me deixou um mês sem jogar bola. Um mês cara! O bom mesmo é que eu descobri que minha irmã tem medo de barata.

 

SAÍDA (meninas e meninos)

Passa por ali, depois, entra lá, assim que chegar lá, desce direto, sem parar, vai, vai, vai, vai, ai para. Olha pra esquerda e continua andando. Na porta preta de aço, bata 3 vezes e vire a maçaneta, entre engatinhando para não bater a cabeça. Quando a janela verde aparecer, pule, mas não pulinho, e sim pulão. Ai você estará na rua, entendeu?!

RESPONSÁVEL (meninos)

Eu sou um cara responsável. Responsável mesmo. Porque toda vez que alguém pergunta: “Quero saber quem foi responsável por quebrar isso ou aquilo?” Quase sempre o responsável fui eu. Quando alguma coisa dá errado lá em casa, minha mãe não quer nem saber, ela vem já gritando comigo: “O que você fez dessa vez moleque?” Por que eu sempre sou o culpado?

 

ZAP (meninas)

Tô abismada com esta onda de WhatsApp. As pessoas não falam mais, uma olhando pra outra, agora é só na tela.

Vocês acreditam que minha amiga estava na minha casa e não deu uma palavra comigo? Sério! Mas quando foi ao banheiro me mandou um Zap.

Meu pai hoje não vem mais no meu quarto. Quando quer me dar um beijo de boa noite, manda pelo Zap.

Até meu cachorro manda latido pelo Zap.

To pensando em não ir mais à escola, vou conversar com a professora pelo ZAp! (dar gargalhada)

 

MENTI (meninas e meninos)

Eu tô assim porque eu menti pro meu pai… Me ferrei na prova de português, mas falei que me dei bem… Ah, mas eu só fiz isso porque era o dia da festa junina da escola e se eu contasse a verdade ele não ia deixar eu ir… Só que a minha mãe achou a prova na minha mochila e mostrou pra ele… Agora ele quer me matar!!! Disse que não confia mais em mim e me botou de castigo… Cortou televisão, internet e tudo o que eu gosto… Com meu pai é assim: Vacilou uma vez, ferrou… Não tem mais volta… Mas você vai ver, eu vou estudar muito, muito mesmo! Eu vou fazer de tudo pra ele confiar em mim de novo! Você vai ver!

 

 

VITOR (meninas)

Sabe, quando eu vi o Vitor pela primeira vez, tive certeza: é ele! Eu não podia ter dúvidas depois de sentir aquele friozinho na barriga, aquela sensação de que eu poderia levantar voo a qualquer momento. Acho que eu fui dormir sorrindo aquela noite. Acordei com cãibra na bochecha, mas o sorriso não saiu do meu rosto. Sabe por quê? Porque eu tinha certeza que eu ainda ia encontrar o Vitor. Muita coisa aconteceu. Desde aquele dia muita coisa mudou. Aconteceram brigas, desentendimentos, entendimentos… Só uma coisa não mudou. Toda vez que eu vejo o Vitor, sinto que posso levantar voo, basta ele me dar um empurrãozinho.

Marque sua avaliação



Deixe seu comentário

4 × 2 =