Aprenda a lidar com a timidez

1 Comment

Carol Moryc

Algumas crianças são mais retraídas, quietas, falam baixo, não gostam de falar em público, fazem poucos gestos, tem dificuldade ou não gostam de expressar suas opiniões. Quando se veem em situações deste tipo ficam vermelhas com facilidade. A timidez é um traço da personalidade destas crianças.

Muitos pais se perguntam se esse comportamento é normal, mas a timidez só é prejudicial quando atrapalha o convívio social da pessoa e quando ela não consegue exercer suas tarefas diárias como apresentar trabalho na sala de aula, fazer exercícios em grupo, fazer perguntas para os professores perante seus outros colegas de classe ou até mesmo pedir para ir ao banheiro. Essa dificuldade também atrapalha no rendimento escolar.

Existe uma diferença entre introversão e timidez. Pessoas introvertidas pensam antes de falar, não gostam de conflitos, e concentrar-me facilmente. Preferemambientes mais tranquilos, com pouco barulho e com menos ação, pois são voltadas para dentro de si mesmas, se mobilizam mais pelo subjetivo que pelo objetivo. Essas pessoas preferem lugares e situações calmas. A timidez é um reflexo do medo de errar e ser julgado mal pelos outros. Ela é desconfortável, a introversão não é. Para evitar esta situação, a criança prefere não tomar a iniciativa e se isolar. Ela traz desconforto e inibição em situações de interação pessoal. Há tímidos que apresentam esse comportamento apenas em algumas situações particulares, como falar em público ou com aqueles que não conhecem muito bem. Porém, a chamada timidez crônica traz grande dificuldade para se relacionar com os outros em diversos tipos de situações sociais e não apenas em uma específica.

Os pais devem se preocupar com seu filho quando ele não consegue se relacionar bem outras crianças, prefere viver isolado, brincar sozinho em casa ou precisa de ajuda para tudo. A timidez deve ter atenção especial quando não permite que a criança relaxe e se divirta, quando passeios ou festas de aniversário dos colegas são uma tortura e não uma atividade prazerosa. Nestes casos, se ela não for trabalhada pode trazer transtornos psiquiátricos na vida adulta.

Um dos sinais da timidez é o rubor da face. É comum também o tímido apresentar uma fala não fluente (gaguejar), usar baixo volume de voz, ter pouco contato visual com o interlocutor e usar pouca expressão corporal. Alguns podem apresentar sudorese excessiva.

Atividades artísticas como o teatro, por exemplo, também ajudam tímidos e introvertidos a se soltarem mais. Vivenciando personagens e situações sem compromisso com a realidade, a criança consegue expressar e trabalhar suas emoções à medida que se liberta de seus medos e frustrações.

Temos dicas de alguns livros para os tímidos e introvertidos que gostam de ler. O primeiro é “As vantagens de ser introvertido”, de Marti Olsen Laney. Ele fala sobre as características destas pessoas e ensina a lidar melhor com situações tão diferentes como o trabalho, a vida social e familiar. O segundo é “O poder dos quietos”, de Sesan Cain. Este livro explica como a introversão pode ser extremamente produtiva. O terceiro é “Vencendo a Timidez” de autoria do Dr. Bernardo Carducci, uma das maiores autoridades do mundo em timidez, que mostra as causas da timidez na infância.

Os pais precisam ser compreensivos e não forçar a criança a participar de atividades em que ela não se sinta confortável (leia esta matéria da Revista Veja relatando uma pesquisa sobre este assunto). Devem estimular a participação em atividades sociais, mas sempre respeitando seus limites. Uma boa dica é ajudar a criança a se aproximar de outras que tenham gostos parecidos com os seus. Também é importante aprender a viver com suas características e se aceitar como é.



Um Comentário


Deixe seu comentário

20 − 1 =